Busca em mina russa é suspensa, número de mortos chega a 66

Equipes de resgate russas pararam nesta quinta-feira de procurar os 24 homens desaparecidos depois de um desastre na mina que matou ao menos 66 pessoas, devido a temores de novas explosões subterrâneas, informou o ministério de emergências.

REUTERS

13 Maio 2010 | 12h04

Uma explosão de gás metano atingiu a mina de Raspadskaya na noite de sábado, seguida horas depois por uma forte explosão que destruiu a abertura principal e danificou gravemente os prédios da superfície.

"As operações de busca foram suspensas", disse Pavel Plat, uma autoridade do ministério de emergência.

Incêndios na mina siberiana e altos índices de gás metano poderiam causar novas explosões, disse ele em comunicado.

"Nossa tarefa é apagar os incêndios e diminuir a concentração do gás, só depois disso poderemos enviar pessoas lá dentro", disse Plat. "Infelizmente, as condições pioraram."

Os corpos de seis mineiros foram retirados durante a noite, aumentando o número de mortes confirmadas para 66, disse o ministério. Segundo o órgão, outros 24 mineiros estavam desaparecidos.

O desastre na cidade de Mezhdurechensk, 3 mil quilômetros ao leste de Moscou, foi o acidente mais grave em uma mina russa desde que 110 pessoas morreram em uma explosão semelhante na região carvoeira de Kemerovo em março de 2007.

(Reportagem de Steve Gutterman)

Mais conteúdo sobre:
RUSSIA MINA BUSCA SUSPENSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.