Max Rossi/Reuters
Max Rossi/Reuters

Buscam por vítimas do terremoto é interrompida na Itália

Saldo das vítimas do terremoto na região de Abruzzo chega a 293; bombeiros salvaram 150 pessoas

Efe,

12 de abril de 2009 | 08h05

O número de mortos pelo terremoto de 5,8 graus é de 293. Nos escombros também foram recuperadas nestes dias com vida um total de 150 pessoas, a última a jovem Eleonora Calesini, achada na quarta-feira passada, 42 horas após ficar soterrada.

Veja também:

email Está na Itália? Envie seu relato

lista Brasileiros contam como enfrentaram o tremor

lista Cronologia: Piores tremores dos últimos anos

especialEntenda como acontecem os terremotos

mais imagens Veja imagens do funeral das vítimas 

A promotoria de L'Aquila, capital de Abruzzo e epicentro do tremor, começou a investigar a razão de tantos desabamentos e se isso foi causado por uma má construção, na qual não se respeitou as leis para construção em áreas sísmicas.

 

Os primeiros controles foram feitos nas destruídas Casa do Estudante - uma residência de estudantes, tipo colégio onde morreram oito jovens - e no Hospital de San Salvador.

 

Segundo publica hoje o jornal "Corriere della Sera" as suspeitas sobre anomalias nas construções tornaram-se realidade e os peritos nomeados pelo promotor descobriram que os pilares foram fabricados com uma quantidade de ferro menor que a determinada pela normativa e por isso que não resistiram ao tremor de 5,8 graus da madrugada do dia 6.

 

De acordo com os peritos se as regras antissísmicas tivessem sido respeitadas o número de prédios derrubados teria sido menor, assim como o de falecidos.

 

Enquanto as investigações prosseguem e os desabrigados se preparassem para celebrar a Páscoa, a terra voltou a tremer hoje com uma réplica de uma magnitude de 3,1 graus.

 

O primeiro-ministro Silvio Berlusconi voltará hoje a L'Aquila,para passar com os desabrigados a Páscoa, uma das festas mais comemoradas entre os italianos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.