Cameron se diz chocado com provável envolvimento de britânico em morte de jornalista dos EUA

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse nesta quarta-feira que está chocado com o provável envolvimento de um cidadão britânico num vídeo que supostamente mostra um jornalista norte-americano sendo decapitado por militantes islâmicos, e acrescentou que o homem ainda não foi identificado.

REUTERS

20 de agosto de 2014 | 15h33

"Nós não identificamos a pessoa responsável no vídeo, mas pelo que vimos, parece cada vez mais provável que seja um cidadão britânico. Isso é profundamente chocante", afirmou Cameron a emissoras nesta quarta-feira.

O premiê, no entanto, descartou o envio de soldados para reforçar o envolvimento militar da Grã-Bretanha no Iraque, que até agora tem se focado no fornecimento de suprimentos para as forças curdas que lutam contra os militantes do Estado Islâmico e no uso de jatos para vigilância.

"Eu tenho sido muito claro que este país não vai se envolver em outra guerra no Iraque", disse. "Nós não vamos colocar tropas de combate no terreno, isso não é algo que devemos fazer. Nós temos uma estratégia clara, devemos nos ater a essa estratégia."

(Reportagem de Kate Holton e William James)

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHACAMERONVIDEO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.