Carateca russo mata dois após transmissão de piolho

Um russo lutador de caratê foi acusado de espancar até a morte duas pessoas por terem supostamente transmitido piolhos à sua mulher, disse o investigador do caso nesta sexta-feira.

REUTERS

10 Abril 2009 | 13h35

Embriagado, o homem de 26 anos invadiu o quarto do albergue em que se hospedava e assassinou na última terça-feira uma mulher de 61 anos e o filho dela, afirmou o detetive Eduard Abdullin por telefone desde Kazan, cidade a 700 quilômetros de Moscou.

"Ele literalmente bateu nos dois até a morte com murros e pontapés", disse Abdullin. "Ele os culpava de infectar sua esposa e o corredor inteiro do albergue com piolhos", acrescentou.

O marido da mulher morta, um homem de 58 anos, também foi brutalmente agredido, mas conseguiu sobreviver.

Se declarado culpado, o suspeito, que praticou caratê por sete anos, pegará prisão perpétua, disse Abdullin.

Mais conteúdo sobre:
RUSSIACARATEPIOLHO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.