Cardeal defende papa e pede firmeza em investigações de pedofilia

Segundo imprensa dos EUA, Bento XVI teria encoberto casos de abuso quando era cardeal

estadao.com.br

27 de março de 2010 | 11h06

O cardeal Walter Kasper, uma das lideranças do Vaticano, defendeu neste sábado, 27, o papa Bento XVI das acusações de que ele teria silenciado sobre casos de abuso quando era ainda o cardeal Joseph Ratzinger. Kasper ainda pediu mais firmeza nas investigações de abusos sexuais cometidos por membros do clero.

Veja também:

link  Os escândalos sexuais mais recentes da Igreja

"Os ataques ao papa vão além de qualquer senso de justiça e lealdade", disse o cardeal, em entrevista ao diário italiano Corriere della Sera. Segundo ele, a Igreja precisa ser mais vigilante quanto aos abusos.

Na quinta-feira, o jornal americano 'the New York Times' publicou que bento XVI teria acobertado casos de pedofilia na Igreja quando era Prefeito para Congregação da Doutrina da Fé, o antigo Tribunal do Santo Ofício. O Vaticano criticou as denúncia e afirmou que a imprensa se lançou em uma campanha contra o pontífice.

Na semana passada, o papa enviou uma carta à comunidade católica irlandesa na qual condenou os abusos sexuais sistemáticos cometidos por padres do país em instituições de ensino durante o século XX.

Com informações da Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.