Carismático prefeito de Berlim deixará cargo após 13 anos

O prefeito de Berlim, Klaus Wowereit, deixará o cargo após 13 anos à frente da cidade certa vez descrita por ele como “pobre, mas sexy”, com sua reputação manchada nos últimos anos por constrangedores atrasos e custos excessivos no novo aeroporto da capital alemã.

ALEXANDRA HUDSON, REUTERS

26 de agosto de 2014 | 10h27

Wowereit, que tornou-se uma celebridade nacional ao revelar sua homossexualidade durante a primeira campanha eleitoral, pouco antes de um jornal planejar expor sua sexualidade, está deixando a posição dois anos antes do fim de seu mandato.

Encarando a imprensa, nesta terça-feira, com um seu típico sorriso, o prefeito de 60 anos disse: “Eu anunciei ao Senado [de Berlim] hoje que não continuarei para o próximo período legislativo e que deixarei minha posição em 11 de dezembro."

Após muita especulação sobre quanto tempo ele continuaria no cargo, Wowereit disse querer dar clareza à sua decisão.

“Não foi uma decisão fácil. Faço parte da política nesta cidade há mais de 40 anos... às vezes é difícil encontrar o tempo certo para ir embora. Para mim, a hora chegou agora. Estou saindo por vontade própria e estou feliz de ter desempenhado meu papel no desenvolvimento positivo desta cidade.”

Chamado de “Wowi" pela imprensa, o modo simpático, sorridente e realista do berlinense o tornaram um dos políticos mais populares da Alemanha, e ele foi frequentemente fotografado em torno de celebridades e aproveitando um estilo de vida repleto de festas.

Visto como um possível candidato do partido SPD para chanceler (primeiro-ministro), ele foi, no fim das contas, descartado por causa de preocupações do partido de que, o que o tornou popular em Berlim, poderia não ter o mesmo efeito em eleitores em todo o país.

O jornal Tagesspiegel disse que Jan Stoess, chefe do SPD em Berlim, assumiria no lugar de Wowereit, o qual venceu seu terceiro mandato como prefeito em setembro de 2011, governando em colaboração com os Democratas Cristãos da chanceler Angela Merkel.

O crescimento de Berlim, com muitas obras e construções, e o aumento de sua popularidade tornaram vergonhoso o fato de a capital não ter um aeroporto digno. O novo aeroporto internacional - um projeto precioso de Wowereit - está cinco anos atrasado, duas vezes acima do orçamento original e tornou-se uma piada nacional.

"Uma das maiores derrotas, é claro, foi não ter aberto o aeroporto. Essa foi uma amarga derrota e continua a ser assim, e eu me arrependo de que ainda não tenha dado certo”, disse o prefeito.

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHABERLIMPREFEITO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.