Carla Bruni não fará shows enquanto Sarkozy for presidente

Primeira-dama da França afirmou que nem todas suas posições políticas coincidem com a de seu marido

Associated Press,

21 de junho de 2008 | 11h29

Enquanto Nicolas Sarkozy for presidente da França sua mulher, a cantora Carla Bruni, não fará shows. Como primeira-dama, Carla Bruni-Sarkozy disse que sua carreira está suspensa enquanto Sarkozy estiver no poder. O novo álbum da cantora deve chegar às lojas no próximo mês, segundo a Carla Bruni declarou ao jornal Liberation, afirmando que vai seguir promovendo suas músicas pela televisão. 'Mas não posso me permitir dar show, que exigem um aparato de segurança que, na minha opinião, seria escandaloso', disse a primeira-dama da França. 'Vou voltar a fazer show quando meu marido não for mais presidente', acrescentou. A ex-modelo e cantora de 40 anos se casou com Sarkozy em fevereiro. Em entrevista, a primeira-dama da França disse que nem todas suas posições políticas coincidem com as de seu marido. Sarkozy é de direita, mas Carla Bruni mesmo não tendo posições firmes, suas 'reações instintivas tendem à esquerda.''Não é uma ideologia ou um sistema... Tenho a impressão de que as pessoas que estão totalmente de um lado ou de outro pensam com a metade do cérebro', disse. O álbum da cantora causou polêmica com uma música em francês que diz 'é minha droga/ mais mortal que a heroína afegã/ mais poderosa que a cocaína colombiana'. Fernando Araújo, chanceler colombiano, afirmou que 'na boca da esposa do presidente da França, essa afirmação é muito dolorosa para a Colômbia'.

Mais conteúdo sobre:
Nicolas SarkozyCarla Bruni

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.