Philippe Wojazer/Reuters
Philippe Wojazer/Reuters

Carla Bruni não quer que Sarkozy se candidate à reeleição em 2012

Primeira-dama francesa teme pela saúde do marido e desmente boatos de infidelidade

Efe

25 de março de 2010 | 12h20

PARIS - A primeira-dama francesa, ex-modelo e cantora Carla Bruni, admite que, "como esposa", prefere que o presidente da França, Nicolas Sarkozy, não se candidate para um segundo mandato, segundo informações obtidas nesta quinta-feira, 25, no jornal francês Le Figaro.

 

Em entrevista ao suplemento feminino do jornal, que será publicado no sábado à venda, a cantora enfatiza que "realmente não deseja a candidatura do marido". No entanto, Carla destaca que aceitará bem a situação e as decisões que seu marido tomar, "sejam elas quais forem".

 

Em relação ao motivo de seu desejo de que Sarkozy não se candidate às eleições presidenciais de 2012, Carla disse temer por sua saúde. "Pode ser que eu tenha medo por sua saúde, pode ser que eu tenha vontade de viver com certa paz", disse.

 

A primeira-dama francesa qualificou como "infundados" os recentes boatos de crise no casamento, segundo os quais tanto ela quanto o presidente teriam casos extraconjugais. "O boato faz parte da natureza humana e sempre existiu, mas eu o desprezo se vem de um blog assinado por Mickey ou Super-Homem", acrescenta.

 

Carla também expressou desprezo "aos jornalistas que se utilizam dos blogs como fontes críveis". Ela acrescenta que, em muitas ocasiões, fica "furiosa e indignada com a forma como a imprensa ofende Sarkozy".

Tudo o que sabemos sobre:
Carla BruniSarkozyFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.