Carro-bomba deixa pelo menos um ferido na Espanha

Atentado em Bilbao pode ter sido provocado pela ETA; guarda-costas de político é atingido pela explosão

Associated Press e Efe,

09 de outubro de 2007 | 09h20

Uma bomba colocada sob um carro explodiu nesta terça-feira, 9, na cidade basca de Bilbao, ferindo pelo menos uma pessoa, informou a polícia local.   A bomba foi colocada sob um veículo de escolta. O guarda-costas que estava no carro ficou ferido, disse uma fonte na polícia basca.   Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque até o momento, mas as suspeitas se voltam contra o grupo separatista ETA (Pátria Basca e Liberdade), que recentemente retomou suas ações.   Autoridades não sabem se houve algum tipo de alerta sobre o ataque. Geralmente os terroristas da ETA costumam avisar sobre atentados por ligações telefônicas. A identidade do guarda ferido também não foi revelada.   Muitas figuras públicas usam serviços de guarda-costas como proteção contra ataques do grupo. O segurança prestava serviços a Juan Carlos Domingo, membro do Partido Socialista do conselho da cidade basca de Galdakao.   Após o anúncio da ruptura do cessar-fogo em 5 de junho, a ETA tentou cometer um atentado sete vezes, das quais falhou em seis ocasiões, e conseguiu concretizar uma contra o quartel da Guarda Civil da localidade basca de Durango, no norte da Espanha.   Comemoração nacional   Horas antes, o Ministério do Interior espanhol aumentou as medidas de segurança, especialmente em Madri, diante da possibilidade de que o grupo terrorista ETA cometesse um atentado em 12 de outubro, dia da Festa Nacional espanhola.   O ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba, anunciou o reforço das medidas de segurança diante da data "especialmente chamativa" para o grupo terrorista, devido a suas pretensões de "condicionar a agenda política, social e institucional" espanhola.   "Nestas condições, tenho que dizer que foram intensificadas as medidas de segurança em torno desta semana, concretamente em torno do dia 12", disse Rubalcaba em entrevista coletiva. Ele acrescentou ainda que "esta política de extremar as medidas de segurança é especialmente intensa em Madri".   Matéria ampliada às 11h15. 

Tudo o que sabemos sobre:
ETAEspanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.