Petros Giannakouris/AP
Petros Giannakouris/AP

Carro-bomba explode em frente a prédio do Banco Central grego

Ninguém ficou ferido na explosão, que ocorre um dia antes da visita de Angela Merkel ao país

O Estado de S. Paulo,

10 de abril de 2014 | 10h59

ATENAS - Um carro-bomba explodiu nesta quinta-feira, 10, em frente a um prédio do Banco Central da Grécia, horas antes de o país regressar ao mercado internacional de títulos públicos após quatro anos. Algumas vidraças foram estilhaçadas, mas ninguém ficou ferido.

A polícia atribuiu o atentado a grupos esquerdistas ou anarquistas. Cerca de 45 minutos antes da explosão, ocorrida por volta das 6h (horário local), uma pessoa não identificada fez um alerta por telefone a um jornal, dizendo que a bomba continha 70 quilos de explosivos, contou um policial que pediu anonimato. Um site também disse ter recebido o aviso por telefone.

Testemunhas disseram que destroços ficaram espalhados pela rua, num dos pontos mais movimentados do centro de Atenas, com muitos bancos, lojas e um shopping. Outro policial afirmou, também sob anonimato, que investigadores ainda irão determinar a quantidade e o tipo de explosivos usados.

"Está claro que os agressores estão tentando ditar a pauta", disse o porta-voz governamental Simos Kedikoglou a uma TV local. "Não vamos permitir que os terroristas tenham sucesso."

A polícia isolou toda a área, situada a poucos metros da Praça Syntagma, onde está situado o Parlamento grego, e especialistas estão analisando as câmeras de segurança. O carro estava estacionado em um lugar proibido de uma área considerada uma das mais vigiadas de Atenas.

O veículo, um Nissan Sunny, ficou praticamente destruído e, segundo informações que vazaram da polícia para a imprensa local não confirmadas oficialmente, havia sido roubado no dia 6.

Atentados com bombas improvisadas e incêndios criminosos se tornaram comuns desde que a Grécia adotou impopulares medidas de austeridade em troca de um bilionário pacote de resgate financeiro da União Europeia e do FMI, em 2010.

Buscando demonstrar ao mundo político e financeiro que está finalmente emergindo da crise da dívida, a Grécia deve lançar títulos no mercado nesta quinta-feira, mas a população continua muito insatisfeita com a recessão que já dura seis anos e fez o desemprego se aproximar de 28%.

Na sexta-feira 11, a chanceler alemã, Angela Merkel, uma das mentores da política de austeridade, deve visitar a Grécia./ EFE e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Gréciacarro-bombaAngela Merkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.