Casal francês é acusado de homicídio de seus oito filhos recém-nascidos

Bebês foram encontrados enterrados em sacos plásticos em uma casa em Villers-au-Tertre

Efe

29 de julho de 2010 | 09h38

Casa foi trancada pelas autoridades por conta das investigações.

 

PARIS - A mãe dos oito bebês cujos restos mortais foram encontrados em uma casa em Villers-au-Tertre, no norte da França, foi acusada nesta quinta-feira, 28, de "homicídio voluntário de menores de 15 anos". Seu marido, por sua vez, será indiciado por "não denúncia de crime e encobrimento de cadáveres", informou a Promotoria de Douai.

 

Segundo a imprensa local, Dominique Cottrez reconheceu ter asfixiado seus filhos, mas assegura que seu marido, Pierre-Marie Cottrez, não estava ciente dos fatos, que suspeita-se que tenham ocorrido depois do nascimento das duas filhas do casal, entre 1989 e 2000.

 

O que pode se transformar no maior caso de infanticídio da história da França comoveu a pequena cidade, onde alguns de seus habitantes contaram às rádios locais que não conseguiam entender como conviveram com o casal, de 45 e 47 anos, sem desconfiarem do obscuro crime do qual são acusados.

 

O caso teve início quando os novos proprietários do chalé, em cujo jardim foram encontradas partes dos cadáveres, alertaram sobre a descoberta, no sábado. Os novos proprietários da casa, que pertenceu aos pais da mãe das crianças, queriam replantar uma árvore e encontraram uma bolsa de plástico com os restos mortais de um bebê enquanto cavavam a terra.

 

Oficiais das forças de segurança ajudados por cães farejadores confirmaram o infanticídio múltiplo. Outro cadáver foi encontrado no mesmo lugar e outros seis em uma casa próxima, a um quilômetro de distância.

 

Os agentes detiveram os supostos autores do crime e Dominique, suposta mãe dos oito recém-nascidos, confessou ter praticado os assassinatos, segundo a imprensa local. O promotor de Douai deve dar uma entrevista coletiva para fornecer detalhes sobre a investigação.

Tudo o que sabemos sobre:
Françabebêscrime

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.