Casal McCann teme jamais encontrar Madeleine

Conhecidos dizem que família já admite a morte da menina; pais contrataram especialista para buscar o corpo

Agências internacionais,

08 de outubro de 2007 | 08h02

Gerry e Kate McCann, pais de Madeleine, a menina britânica de quatro anos que desapareceu no dia 3 de maio em Portugal, temem que o caso de sua filha nunca seja resolvido, admitiram amigos do casal à imprensa britânica.   Veja Também Falhas no caso Madeleine Cronologia    Vários tablóides informam nesta segunda-feira, 8, que os McCann encaram de maneira "insuportável" a idéia de que nunca possam encontrar sua filha ou saber o que aconteceu na noite de seu desaparecimento. Além disso, amigos do casal admitiram que a família teme que os pais sejam vistos por algumas pessoas como suspeitos do sumiço.   "Temem que tenham de viver sobre uma nuvem de suspeitas. Algumas pessoas pensarão que eles foram os responsáveis", disseram fontes ligadas aos McCann em entrevista ao tablóide The Sun.   As mesmas fontes agregaram que os pais se dão conta da possibilidade de que Maddie possa estar morta. "Claro que eles rezam para que isto não seja verdade. Mas se for, querem saber o que aconteceu", afirmam.   A pedido dos pais, o ex-policial sul-africano Daniel Krugel realizou na Praia da Luz uma investigação sobre a possível localização do corpo e apontou um terreno de difícil acesso como a área provável em que a menina estaria enterrada. A polícia não estendeu as buscas nos locais citados pelo especialista, que já acertou cerca de 90% dos lugares em que apontou que cadáveres estariam sepultados.   Segundo o jornal português Correio da Manhã, os serviços de busca de Krugel teriam custado cerca de 1,3 milhões de euros. Além disso, Justine McGuinness, ex-assessora do casal McCann, apresentou-lhes uma conta de 51 mil libras, cerca de 73 mil euros, pelos 89 dias em que trabalhou para o casal. Ela foi substituída pelo ex-jornalista da BBC Clarence Mitchell no mês de setembro.   O tablóide Daily Express informa nesta segunda que não há provas sólidas para apoiar a teoria da polícia portuguesa de que Madeleine pode ter sido morta na noite em que desapareceu. Segundo o jornal, os testes de DNA para fundamentar a teoria e concluir que os pais são suspeitos do desaparecimento de Maddie não são conclusivos.   Em setembro, a Polícia portuguesa considerou os McCann suspeitos do desaparecimento da menina do quarto na qual dormia junto com seus irmãos gêmeos de dois anos.   Madeleine foi vista pela última vez no dia 3 de maio num centro turístico de Praia da Luz (Algarve), onde passava férias com seus pais e irmãos. A menina desapareceu enquanto seus pais jantavam em um restaurante nas proximidades do hotel onde estavam hospedados.   Investigações em Portugal   Desde que o investigador do caso, Gonçalo Amaral, foi afastado, apenas quatro oficiais seguiram com os trabalhos na busca pela britânica desaparecida. Segundo o jornal The Sun, esse número deve ficar ainda menor, já que Tavares Almeida, o número 2 nas investigações, pediu afastamento temporário do cargo.   Segundo o casal McCann, este é um problema da polícia portuguesa e eles não pretendem comentar. Entretanto, o porta-voz da família afirmou que todos esperam que a equipe responsável pelo caso seja reconstituída o mais rápido possível.

Tudo o que sabemos sobre:
Madeleine McCann

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.