Andrew Parsons/Reuters
Andrew Parsons/Reuters

Centenas homenageiam homem morto durante protestos do G20

O vendedor de jornais Ian Tomlinson, 47, foi surpreendido por um confronto entre policiais e manifestantes

REUTERS

11 de abril de 2009 | 16h26

Centenas de pessoas marcharam em Londres neste sábado em luto à morte de um britânico durante protestos contra a cúpula financeira do G20 na semana passada.

O vendedor de jornais Ian Tomlinson, 47, estava a caminho de casa quando foi surpreendido por um confronto entre policiais e manifestantes anti-capitalistas perto do Banco da Inglaterra, em 1o de abril, um dia antes da cúpula sobre a crise financeira global, em Londres.

Depois de morto, descobriu-se que ele foi vítima de um ataque cardíaco.

A Comissão Independente de Denúncia da Polícia (IPCC, na sigla em inglês) afirmou nesta semana que estava assumindo o inquérito sobre a morte de Tomlinson após o surgimento de um vídeo mostrando um policial empurrando-o para o chão pouco antes de desfalecer.

Manifestantes, alguns carregando placas com os dizeres "Quem matou Ian Tomlinson?", marcharam na capital antes de deixarem flores e acenderem velas no local onde o britânico morreu.

"Nós temos esperança de que o IPCC cumprirá seu dever de conduzir uma investigação completa sobre sua morte e que ações serão tomadas contra qualquer autoridade policial que tenha contribuído com a morte de Ian por má conduta", disse o enteado de Tomlinson, Paul King, aos manifestantes.

"Nós podemos ter um longo e difícil processo à frente antes de conseguirmos justiça", acrescentou ele.

(Reportagem de Adrian Croft)

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHAPROTESTOMORTEG20*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.