Centenas participam de funeral de membros da realeza da Sérvia

Centenas de pessoas se reuniram neste sábado para um novo sepultamento do príncipe sérvio Pavle Karadjordjevic e da mulher e do filho dele, décadas depois da morte dos três no exílio, em uma cerimônia importante para muitos sérvios que retêm um forte sentimento em relação à dinastia real.

Reuters

06 de outubro de 2012 | 14h22

Após a exumação num cemitério na Suíça no mês passado, os três caixões enrolados na bandeira da Sérvia e escoltados por guarda de honra foram transferidos para a capela real Oplenac na cidade de Topola, no sudoeste do país, local de sepultamento da maior parte da família real.

Muitos sérvios consideram a dinastia Karadjordjevic como criadora da Sérvia independente, após levante contra os turcos otomanos em 1804.

Pavle foi, por um curto espaço de tempo, aliado da Alemanha nazista, Itália e Japão em 1941, mas foi destituído por seus oficiais. Ele passou boa parte da Segunda Guerra Mundial preso pelos britânicos no Quênia.

Depois da guerra, o príncipe foi declarado traidor pelos governantes comunistas que assumiram o poder. Ele permaneceu no exílio até sua morte em 1976.

O presidente Tomislav Nikolic, religiosos da igreja ortodoxa sérvia e membros da família real participaram do funeral.

"Com isso nós queremos pagar uma grande dívida histórica para com a família Karadjordjevic e com o príncipe Pavle, que também era o chefe de Estado", disse Nikolic.

(Reportagem de Jaksa Scekic)

Tudo o que sabemos sobre:
SERVIAFUNERALPRINCIPE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.