Gustau Nacarino/Reuters
Gustau Nacarino/Reuters

Centro-direita vencerá com folga eleição na Espanha, diz pesquisa

Eleitores culpam o governo socialista pela difícil situação econômica que o país passa

Reuters

04 de novembro de 2011 | 12h59

MADRI - O Partido Popular (PP), da oposição de centro-direita na Espanha, está a caminho de obter vitória absoluta nas eleições de 20 de novembro e controlar o parlamento, já que os eleitores culpam o governo socialista pela situação da economia, mostrou uma pesquisa de opinião divulgada nesta sexta-feira, 4.

O PP ganharia entre 190 e 195 cadeiras na Câmara Baixa - são necessárias 176 para conseguir a maioria absoluta. Os socialistas obteriam de 116 a 121 assentos, segundo a pesquisa do Centro de Pesquisa Sociológica (CIS), do governo. Os números equivalem a 46,6% dos eleitores para o PP, o que dá uma liderança de quase 17 pontos, a maior até o momento na campanha.

Os eleitores estão irritados com o fracasso dos socialistas em lidar com a economia estagnada e com a maior taxa de desemprego da União Europeia, de 21,5%, e consideram ser mais provável que o PP crie empregos do que seu rival.

Nesta sexta-feira, dados fracos sobre a produção industrial em setembro não ajudaram a acalmar os temores de que a Espanha pode estar prestes a voltar para a recessão.

A pesquisa do CIS mostrou que mais de 75% dos espanhóis acreditam que os socialistas fizeram um trabalho ruim ou muito ruim ao lidar com o emprego, sendo que esse percentual aumenta para 78% se for avaliado o desempenho da economia em geral.

"Embora faltem detalhes ao programa eleitoral do PP, um governo de direita provavelmente implementaria medidas de austeridade mais duras e reformas estruturais que gerariam descontentamento social considerável", escreveu Antonio Barroso, analista da empresa de consultoria Eurasia Group, antes da publicação da pesquisa do CIS.

O levantamento se equipara à pesquisa Sigma Dos publicada no jornal de viés de direita El Mundo, no fim de semana passado, que deu ao PP uma vantagem de 14,8 pontos percentuais. A empresa de sondagem Metroscopia calculou que o PP estaria 15 pontos à frente, em uma pesquisa separada publicada no jornal de centro-esquerda El País.

O partido do primeiro-ministro José Luiz Rodríguez Zapatero implementou medidas de austeridade que visavam ajudar a Espanha a evitar recorrer a um resgate da zona do euro semelhante aos da Grécia, Irlanda e Portugal, mas muitos investidores consideram que as políticas não foram longe o suficiente.

A questão central é se os espanhóis estarão dispostos a aceitar medidas de austeridade se elas deixarem os serviços de bem-estar social intactos e criarem empregos. "Eu vou passar a tesoura em tudo, menos na aposentadoria pública, saúde e educação, onde não quero reduzir os direitos dos cidadãos. Temos que fazer isso e os espanhóis precisam saber, e na verdade eles sabem", disse o líder do PP, Mariano Rajoy, à Rádio Punto, em entrevista na sexta-feira.

Embora a pesquisa mostre que uma vitória do PP é quase inevitável, ela também mostrou que mais eleitores acreditam que o partido fez um trabalho ruim ou muito ruim na oposição.

A pesquisa da CIS entrevistou eleitores entre os dias 6 e 23 de outubro, com mais de 17.000 adultos participando. A margem de erro era de mais ou menos 0,76%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.