Centro oferece recompensa de US$ 25 mil para caça de nazistas

Doação fortalece operação para encontrar nazistas refugiados em países da América do Sul, inclusive no Brasil

Ansa,

15 de janeiro de 2008 | 11h24

O centro Simon Wiesenthal, organização judia em prol dos direitos humanos localizado Jerusalém, aumentou de US$ 10 mil para US$ 25 mil a recompensa oferecida em troca de informações úteis para a captura de criminosos nazistas, informou nesta terça-feira, 15,o diretor do centro, Efraim Zuroff, à revista alemã Der Spiegel.   A decisão foi tomada para fortalecer a nova campanha "Operação Última Chance", lançada no último mês de novembro para encontrar os últimos nazistas ainda vivos refugiados nos países da América do Sul.   Zuroff explicou à Der Spiegel que o aumento da recompensa foi possível graças à uma contribuição recebida nas últimas duas semanas de um doador judeu dos Estados Unidos.   Os países envolvidos na nova operação são: Argentina, Chile, Uruguai e Brasil.   "Reafirmamos que na área existam entre algumas dezenas e uma centena de criminosos de guerra nazistas, de cuja existência não sabemos nada", havia explicado Zuroff no último mês de novembro na ocasião da coletiva de imprensa de apresentação da iniciativa.

Tudo o que sabemos sobre:
NazistasJudeusDireitos humanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.