Cercado pela polícia, britânico se suicida após perseguição

Um homem procurado por três crimes se suicidou no começo deste sábado durante um impasse com peritos e negociadores em uma região rural no nordeste da Inglaterra.

STEFANO AMBROGI, REUTERS

10 de julho de 2010 | 11h44

Raoul Moat, um ex-fisiculturista de 37 anos e empregado de casa noturna que carregava rancor em relação à polícia, foi cercado por agentes armados na beira de um rio na cidade de Rothbury, em Northumberland, onde ele vivia.

Mais policiais, atiradores e veículos blindados correram para o local para ajudar a encerrar uma semana de caçada a Moat, que declarou guerra à polícia e depois ameaçou o público. A polícia britânica normalmente não carrega armas.

A polícia chegou até a contatar os militares em busca de aconselhamentos.

Moat era procurado por atirar em sua ex-namorada, matar o namorado dela e disparar contra um policial no último fim de semana, dias depois de ter sido libertado da prisão após cumprir pena por assalto.

Moat acreditava que sua ex-namorada havia iniciado um relacionamento com um policial enquanto ele estava na prisão. A polícia nega esse fato.

A procura por Moat ocorreu apenas algumas semanas depois de a polícia ter tido dificuldade para encontrar um motorista de táxi que causou uma carnificina no norte da Inglaterra, matando 12 pessoas antes de aparentemente cometer suicídio.

(Reportagem adicional de Matt Falloon)

Tudo o que sabemos sobre:
GRABRETANHACRIMESUICIDIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.