Chefe da Otan acusa Rússia de envolvimento profundo no leste da Ucrânia

A Rússia está profundamente envolvida na crise no leste da Ucrânia, onde separatistas pró-Moscou tomaram o controle de uma série de prédios públicos, disse o secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, nesta terça-feira.

Reuters

15 de abril de 2014 | 11h28

As declarações do chefe da aliança militar ocidental reforça as tensões com o governo russo, que afirma não estar envolvido nos protestos pró-Rússia no leste da Ucrânia.

Perguntado se havia visto evidências de envolvimento russo nos eventos no leste da Ucrânia, Rasmussen disse a repórteres: "Nós nunca... comentamos sobre inteligência, mas eu acho que pelo que está visível, está muito claro que as mãos da Rússia estão profundamente engajadas."

As relações entre a Otan e a Rússia se deterioram desde a anexação por Moscou da região ucraniana da Crimeia no mês passado. A Otan, que acusa a Rússia de ter acumulado tropas na fronteira com a Ucrânia, também suspendeu as cooperações com Moscou.

Rasmussen, que está em Luxemburgo para reunir-se com ministros da Defesa da União Europeia, pediu à Rússia para "distensionar a crise, retirar suas tropas das fronteiras da Ucrânia, parar de desestabilizar a situação na Ucrânia e deixar claro que não apoia as ações violentas de separatistas pró-russos".

Ele disse ainda que a Otan não discute qualquer envolvimento militar na Ucrânia, que não faz parte da aliança, e que está concentrada em fortalecer as defesas nos aliados do leste europeu preocupados com as intenções russas.

(Por Adrian Croft)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAUCRANIAOTAN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.