Chefe da Otan alerta Rússia sobre 'graves consequências' por Ucrânia

O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, alertou a Rússia nesta terça-feira que se o país voltar a violar o leste da Ucrânia haverá "consequências graves" para sua relação com a aliança.

Reuters

08 de abril de 2014 | 07h22

"Se a Rússia for intervir mais na Ucrânia será um erro histórico", disse Rasmussen em entrevista coletiva em Paris. "Isso teria graves consequências para nossa relação com a Rússia e isolaria ainda mais a Rússia internacionalmente."

A polícia prendeu durante a noite 70 pessoas que ocupavam um prédio do governo regional em uma cidade do leste da Ucrânia, mas manifestantes pró-Moscou se mantiveram firmes em outras duas cidades, no que Kiev afirma ser um plano liderado pela Rússia para desmembrar o país.

O governo da Ucrânia afirma que a invasão de prédios públicos no leste ucraniano, coração industrial do país e onde a maioria da população é russófona, repete os acontecimentos na Crimeia, uma península no mar Negro que foi anexada por Moscou no mês passado.

(Reportagem de John Irish)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAUCRANIAOTANALERTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.