China adia cúpula com UE pela visita do dalai-lama à Europa

Tibetano visita países e discursa no Parlamento europeu na data marcada para a reunião com Pequim

Efe,

26 de novembro de 2008 | 12h23

A China decidiu adiar a cúpula prevista com a União Européia (UE) em 1º de dezembro por causa da visita que o dalai-lama fará à Europa por volta da mesma data, anunciou nesta quarta-feira, 26, a Presidência rotativa do bloco europeu, ocupada pela França.   Em comunicado, a Presidência lamentou a decisão de Pequim, mas se mostrou disposta a continuar impulsionando as relações com a China, "particularmente em um momento no qual a situação econômica e financeira mundial requer uma cooperação muito estreita". Segundo a UE, a China solicitou o adiamento da cúpula bilateral devido à visita que o dalai-lama fará nessa data a vários Estados-membros.   O porta-voz do governo francês Luc Chatel reiterou que a posição do presidente francês, Nicolas Sarkozy, é "equilibrada". O chefe do Estado francês deseja que a França e a Europa desenvolvam suas relações com a China, disse o porta-voz, e lembrou que Sarkozy, presidente interino do Conselho da UE, assistiu à cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim em agosto.   O líder tibetano deve participar da reunião do Prêmio Nobel da Paz na Polônia a convite de Lech Walesa e se reunir com os presidentes e primeiros-ministros de vários países ao longo de sua viagem. Além disso, o dalai-lama discursará diante do plenário do Parlamento Europeu e se reunirá com representantes das instituições européias.   Nos últimos meses, houve vários pontos de tensão entre a China e a UE, especialmente, com a concessão do Prêmio Sakharov do Parlamento Europeu à liberdade de pensamento ao ativista chinês pró-direitos humanos Hu Jia, apesar ds advertências e das críticas de Pequim.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaUnião Européiadalai-lama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.