Reuters
Reuters

Chirac irá ao tribunal por que 'não tem nada a temer'

Ex-presidente da França é acusado de criar empregos fictícios quando foi prefeito de Paris

estadao.com.br,

04 Novembro 2009 | 16h43

O ex-presidente da França Jacques Chirac afirmou nesta quarta-feira, 4, que se apresentará ante a Justiça de seu país, que o culpou por um caso de empregos fictícios quando era prefeito de Paris, porque não tem "nada a temer", segundo a rádio Europe 1, conforme informou a agência AFP.

 

"Naturalmente irei como qualquer cidadão tem o dever de fazer para me explicar no tribunal, e o farei com serenidade e determinação", afirmou o ex-líder do governo, que esteve na presidência de 1995 a 2007, em entrevista à rádio. "Não tenho nada a temer. O ex-presidente, de 76 anos, depõe na Justiça por ser acusado de criar 21 "empregos fictícios" enquanto era prefeito de Paris (de 1977 a 1995).

 

Essa é a primeira reação pública de Chirac desde a sexta-feira, quando a juíza de instrução, Xaviere Simeoni, o declarou culpado por "malversação de fundos públicos" e "abuso de confiança. A decisão foi contrária à da promotoria de Paris, que havia pedido em setembro o descumprimento geral do ex-mandatário.

 

A promotoria anunciou na quinta que não recorrerá da decisão, algo que Chirac havia pedido. "A única coisa que conta é a justiça. Não peço clemência nem indulgência pois estaria fora de lugar, tratando-se da Justiça do meu país", disse o ex-presidente, que espera que o processo "acabe o quanto antes".

 

Chirac já esteve envolvido em vários casos judiciais, mas este é o primeiro no qual foi considerado culpado, corre o risco de pegar 10 anos de prisão e ainda receber um multa de US$ 220 mil.

Mais conteúdo sobre:
Chirac França julgamento Justiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.