Cidade belga homenageia mortos em acidente de ônibus escolar

A realeza belga e holandesa e os primeiros-ministros se juntaram a mais de 5 mil pessoas nesta quarta-feira em homenagem às 15 crianças e dois funcionários de uma escola belga mortos em um acidente de ônibus na Suíça na semana passada.

REUTERS

21 Março 2012 | 14h23

Fitas brancas foram amarradas ao redor de árvores que levavam à arena esportiva onde aconteceu a cerimônia televisionada na cidade belga de Lommel.

Soldados carregaram primeiro um caixão marrom contendo o corpo do professor de 53 anos Raymond Theunis. Em seguida, outros militares carregaram caixões brancos com os corpos dos alunos de 11 e 12 anos, acompanhados em procissão pelas suas famílias.

"Os últimos dias de sua vida foram como uma festa ... Você se divertiu muito ... Você ficou para trás nas montanhas. Espero que você esteja feliz lá", disse um pai.

O ônibus belga bateu na parede de um túnel na Suíça na terça-feira da semana passada, matando 22 crianças e seis adultos quando voltava de uma excursão de esqui de duas escolas belgas.

Uma cerimônia estava planejada para quinta-feira para as sete crianças da outra escola na cidade de Heverlee, a cerca de 25 quilômetros a leste da capital Bruxelas.

O rei belga, Albert II, e o príncipe herdeiro holandês, Willem-Alexander, e suas esposas, bem como o primeiro-ministro belga, Elio Di Rupo, e o premiê holandês, Mark Rutte, estiveram presentes para prestar suas homenagens.

Seis crianças holandesas foram mortas no acidente e mais quatro ficaram feridas. Lommel fica perto da fronteira holandesa. Outra vítima era de ascendência britânica e belga.

(Reportagem de Philip Blenkinsop)

Mais conteúdo sobre:
BELGICA HOMENAGEM MORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.