Com balanço otimista, Zapatero convoca eleições espanholas

Votação para cargos legislativos acontece em 9 de março; presidente descata reformas de seu mandato

Efe,

14 de janeiro de 2008 | 15h17

O governo espanhol dissolveu nesta segunda-feira, 14, as Cortes Gerais e convocou eleições legislativas para 9 de março em reunião extraordinária do Conselho de Ministros. O chefe de governo ainda avaliou em comunicado os quatro anos de governo socialista e destacou sua "estabilidade".   O decreto aprovado pelo governo dá início ao calendário fixado pela lei eleitoral até a realização do pleito. O presidente do governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, foi ao Palácio de Zarzuela para informar o rei Juan Carlos da data da convocação eleitoral.   Para Zapatero, seu governo foi uma legislatura de "reformas, mudanças e progresso geral" para o país. Mais de 170 leis e quatro orçamentos gerais do Estado foram aprovados no período.   Os prazos começarão a ser contados a partir de terça-feira, quando o decreto será publicado. De acordo com o calendário, os partidos políticos terão até 4 de fevereiro para apresentar suas candidaturas perante as Juntas Eleitorais. A campanha se desenvolverá entre 22 de fevereiro e 7 de março. Em 9 de março, Zapatero debaterá com o líder do principal partido da oposição, o conservador Partido Popular, Mariano Rajoy.   O chefe de Governo afirmou que pedirá "a confiança dos cidadãos para os próximos quatro anos" e disse que se sente "forte e motivado". "Temos um grande país, somos um grande país, merecemos o melhor futuro e estamos preparados para isso", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
EspanhaEleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.