Com diferença menor, partido de Zapatero vence na Espanha

Partido Popular reconheceu vitória do adversário. PSOE terá 167 deputados e PP, 155

Agências internacionais,

09 de março de 2008 | 19h20

O conservador Partido Popular (PP) reconheceu oficialmente a vitória do Partido Socialista (PSOE) nas eleições gerais realizadas neste domingo na Espanha. Contudo, o partido mostrou-se satisfeito com os resultados que apontaram uma diferença menor neste ano do que a apurada em 2004. Veja também: Reeleição de Zapatero deve manter rigor na imigração Direita e esquerda duelam na Espanha   "Parece que há uma clara vitória, pois há uma boa vantagem (do PSOE)..., mas é preciso ressaltar que, segundo os resultados que vamos conhecendo, temos um grande resultado, uma alta muito importante em porcentagem de votos", disse o coordenador da campanha do PP, Pio Garcia Escudero. Com 85,18% dos votos apurados, o PSOE venceu as eleições com 43,96% destes votos, o equivalente a ter 167 deputados no Congresso, 3 a mais do que em 2004. O Partido Popular tem 40,08% dos votos, ou 155 deputados, sete a mais do que há quatro anos. José Luis Rodriguez Zapatero, que venceu o conservador Mariano Rajoy, ficará no governo por mais quatro anos como primeiro ministro. Zapatero agradeceu aos eleitores, depois que a vice-presidente do Governo da Espanha, María Teresa Fernández de la Vega, confirmou a vitória do Partido Socialista. Ela também prestou homenagem ao ex-vereador socialista Isaias Carrasco, assassinado pelo grupo separatista basco ETA (Pátria Basca e Liberdade) na última sexta-feira. Homenagem A vice-presidente do Governo dedicou suas primeiras palavras "neste dia da liberdade e democracia" à última vítima do terrorismo e a seus parentes. "Eu gostaria que sentissem cada voto emitido hoje como um abraço que estamos dando, que hoje todo o país está com eles e que nunca esqueceremos Isaias, como não esqueceremos cada uma das vítimas" do terrorismo, assegurou. Antes de divulgar dados atualizados sobre a apuração, De la Vega ressaltou que o pleito evidenciou "a determinação de não nos rendermos diante da violência". Zapatero também lembrou o ex-vereador assassinado. "Isaias (Carrasco, ex-vereador socialista) deveria estar vivendo neste domingo este momento, junto com sua família", da mesma forma que as outras vítimas, disse Zapatero em um palco montado em frente à sede do PSOE em Madri, diante de centenas de simpatizantes que o interromperam várias vezes com aplausos. Promessas "Governarei com mão firme e com mão estendida", completou o presidente, antes de ressaltar que "hoje, mais que nunca, acredito em uma Espanha unida e diversa", que viva em liberdade e com tolerância. Após evidenciar a "vitória clara" de seu partido, o líder socialista destacou que os espanhóis "decidiram abrir uma nova etapa sem crispação". Zapatero destacou ainda o alto índice de participação no pleito deste domingo. "O pleito de hoje contou com alta participação, o que é um motivo de alegria para todos. Agradeço a todos os que participaram e aos que com seu voto deram uma vitória clara ao PSOE", acrescentou. A vice-presidente do Governo destacou o desenvolvimento tranqüilo do processo de votação e "o exemplo de maturidade cívica" dado hoje pelos mais de 35 milhões de eleitores espanhóis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.