Começa novo julgamento dos suspeitos de matar a jornalista

Assassinato volta a ser investigado a pedido da família e da revista onde a jornalista trabalhava

AE-AP,

05 de agosto de 2009 | 17h19

O novo julgamento de três suspeitos no assassinato da jornalista russa Anna Politkovskaya começou nesta quarta-feira, apesar das críticas dos advogados de defesa e da admissão da promotoria de que o caso, como está montado, é viciado.

 

Anna Stavitskaya, a advogada que representa a família da jornalista assassinada, disse que o novo julgamento não deverá apresentar melhoras em relação ao primeiro.

 

"Esse processo não poderá revelar a verdade em seu todo, porque o julgamento envolverá as mesmas provas e as mesmas pessoas", disse Stavitskaya antes do julgamento começar.

 

Os réus - dois chechenos e um policial russo - são acusados de desempenhar papéis menores no assassinato de Politkovskaya, morta a tiros em 2006 na capital russa. As matérias de Politkovskaya eram muito críticas ao Kremlin.

 

Em fevereiro, um tribunal moscovita absolveu os três réus, após um julgamento que a família da jornalista morta disse ter sido uma fraude. A Suprema Corte anulou o julgamento e ordenou um novo processo, com outro juiz e júri para o mesmo caso.

 

Dzhabrail Makhmudov é acusado de dirigir o carro e transportar o assassino até o prédio do centro de Moscou, onde Politkovskaya vivia e foi morta a tiros. Um segundo irmão Makhmudov, Ibragim, é acusado de preparar a tocaia contra a jornalista e avisar o irmão em que horário ela estaria em casa. O policial russo Sergei Khadzhikurbanov é suspeito de organizar a logística do crime e fornecer a arma ao assassino. Acredita-se que o assassino seja um terceiro irmão Makhmudov, chamado Rustam, que deve viver no exterior com um nome falso.

 

São esperados adiamentos no julgamento: Stavitskaya e os procuradores apresentaram uma moção nesta quarta-feira pedindo que Rustam Makhmudov e um suposto cérebro do atentado, ainda não identificado, sejam acusados, informaram as agências russas de notícias. Se o pedido for aceito, será uma pequena vitória para a família da jornalista.

 

O advogado de Dzhabrail Makhmudov disse que o novo julgamento não é um processo objetivo.

 

"Nós acreditamos que o objetivo final dos procuradores e das autoridades investigadoras é apenas resolver de maneira formal o caso, apenas colocar alguns nomes na lista", disse Murad Musayev As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Anna PolitkovskayaassassinatoRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.