Companhias aéreas devem reembolsar bilhete, incluindo taxas

Passageiros têm direito de exigir dinheiro de volta em situações excepcionais como a atual

Efe

20 de abril de 2010 | 09h47

BRUXELAS - As companhias aéreas devem reembolsar o preço total do bilhete, incluindo as taxas aeroportuárias, aos passageiros afetados pelos cancelamentos causados pela nuvem de cinza expelida por um vulcão no sul da Islândia, segundo informou nesta terça-feira, 20, Helen Kearns, a porta-voz da Comissão Europeia de Transportes

 

Veja também:

link50% dos voos previstos para este terça devem operar

linkMudança no tempo no empurrará nuvem ao Ártico

linkAumento da atividade do vulcão causa incerteza

mais imagens Veja imagens do vulcão Eyjafjallajoekull

 

Kearns lembrou que quando um voo é cancelado a companhia não precisa pagar as taxas aeroportuárias, por isso que não devolve essa parte do bilhete ao passageiro geraria uma dupla receita em favor da empresa.

 

O Executivo comunitário lembrou que em uma situação excepcional como a provocada pelas cinzas vulcânicas os passageiros têm certos direitos que devem ser respeitados e encorajou os prejudicados a denunciar irregularidades.

 

Kearns, porém, não comentou se a suposta recusa das companhias como Ryanair de devolver a totalidade do preço do bilhete é legal. "Não conheço os detalhes do que propõe a Ryanair, mas esta é a regulamentação europeia", acrescentou, embora não tenha fornecido detalhes sobre o caso concreto desta companhia aérea.

 

A companhia aérea de baixo custo oferece aos clientes aparentemente a devolução do preço do bilhete e o desconto do custo das taxas em uma próxima viagem, o que na prática - se o passageiro não deseja voltar a voar com Ryanair - pode representar a perda de parte do valor pago.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.