Comunistas russos vêem crise como oportunidade de ganhar poder

Os comunistas russos esperam que a crise financeira global cause desconforto na sociedade e os ajude a brigar pelo poder, disse o líder do partido neste sábado. Gennady Zyuganov afirmou no congresso anual do partido que os comunistas devem aproveitar ao máximo o descontentamento crescente do público, causado pela crise econômica, para recuperar sua força política. "O vento da história está soprando em nossos veleiros novamente... Nesse momento de crise, o mundo imperialista está começando a morrer. Estamos no limiar de mudanças políticas e sociais", disse Zyuganov em um discurso de duas horas que abriu o congresso. Os comunistas governaram a União Soviética por oito décadas e permaneceram como uma importante força na oposição por vários anos após o colapso do regime, em 1991. Mas o partido perdeu muito de sua autoridade desde então, e muitos analistas dizem que ele está muito fraco para brigar pelo poder. As autoridades russas tentam minimizar o impacto da crise financeira com a promessa de bilhões de dólares em ajuda estatal. O primeiro-ministro, Vladimir Putin, prometeu maiores repasses aos mais necessitados e impostos menores para as empresas. "As autoridades claramente não estão conseguindo administrar o país... Um protesto social de massa está sendo cultivado, e é difícil prever agora quando e de que forma isso vai explodir", disse Zyuganov. "Devemos assegurar o apoio da sociedade bem antes do começo da crise política... Precisamos aproveitar tudo o que pudermos dessa situação." A Rússia está entre os maiores perdedores da crise financeira global. O índice de referência da Bolsa, RTS, caiu cerca de 70 por cento desde os picos registrados em maio, e o rublo está perdendo valor por conta da queda do petróleo, principal produto de exportação da Rússia. (Reportagem de Aidar Buribayev)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.