Efe
Efe

Confissão pode servir de atenuante para Josef Fritzl

Austríaco que prendeu filha no porão surpreendeu e confessou todos os crimes; pena pode ser prisão perpétua

Efe,

18 de março de 2009 | 18h04

A confissão de Josef Fritzl, que admitiu nesta quarta-feira, 18, culpa em todas as acusações que pesam contra ele, pode servir de atenuante em sua condenação, que pode chegar à prisão perpétua. A inesperada confissão de todos os crimes pelos quais é julgado, incluindo a de homicídio por omissão de socorro, poderia servir para Fritzl conseguir uma pena mais leve, caso seja considerado culpado.

 

Segundo Franz Cutka, porta-voz da Audiência Provincial de Sankt Pölten, onde acontece o julgamento, uma confissão "representa um atenuante essencial para a sentença". Cutka afirmou ainda que o alcance dessa possível redução da pena depende de "até que ponto o júri considera a confissão de hoje como um atenuante."

 

 

 

Veja também:

linkFritzl volta atrás e se declara culpado de acusações

linkFotógrafo consegue flagrar austríaco sem cobrir o rosto

linkJulgamento de Fritzl é retomado a portas fechadas

linkFritzl admite culpa por estupro e incesto, mas nega assassinato

mais imagens Imagens do local em que Fritzl prendeu a filha

video Vídeo: Veja imagens do julgamento

 

Os oito membros do júri popular e os três juízes profissionais que conduzem o processo decidirão a sentença, que pode ir de um ano de cadeia até a prisão perpétua. Fritzl é acusado de assassinato, escravidão, abuso, coação grave, privação de liberdade e incesto.

 

O austríaco trancafiou em um porão e violentou sua filha Elisabeth durante 24 anos. O acusado confessou nesta quinta até mesmo sua culpa na morte, em 1996, de um dos sete filhos que teve com Elisabeth, em decorrência de graves problemas respiratórios ainda recém-nascido.

Tudo o que sabemos sobre:
ÁustriaJosef Fritzl

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.