Conflito com forças da Rússia mata 20 rebeldes na Ingushétia

Região do Cáucaso do Norte, onde também está situada a Chechênia, sofre com violência crescente

Agência Estado e Associated Press,

12 de fevereiro de 2010 | 10h45

Pelo menos 20 supostos rebeldes islâmicos morreram e um oficial da polícia russa ficou ferido em um tiroteio ocorrido na sexta-feira da Ingushetia, informou nesta sexta-feira, 12, um policial próximo do caso. Segundo o oficial, o número de mortes inclui os 10 insurgentes eliminados na quinta-feira.

 

"De acordo com a última contagem, cerca de 20 insurgentes foram mortos, mas o número pode aumentar. Estamos vasculhando a área para ver se encontramos o resto dos rebeldes", disse o policial.

 

De acordo com o governo russo, o confronto começou quando a polícia local cercou um grupo de militantes islâmicos numa região de floresta próxima da fronteira com a Chechênia. Trata-se de um dos mais sangrentos confrontos em meses entre forças do governo e rebeldes islâmicos.

 

As regiões do sul da Rússia têm sofrido com a crescente violência, principalmente na Chechênia e na Ingushetia, que compõe o Cáucaso do Norte. As milícias islâmicas agem na região junto e ainda há rivalidades étnicas e grupos criminosos e separatistas.

 

Os líderes locais da Ingushetia, onde vivem cerca de 300 mil pessoas, dizem que a pobreza e o desemprego estimulam os cidadãos a ingressar nas milícias, embora as autoridades russas garantam que alguns grupos rebeldes tenham ligações com a organização terrorista Al-Qaeda.

 

Os combates em larga escala entre o governo russo e os rebeldes separatistas chechenos terminaram na primeira metade da década, mas milícias islâmicas continuam executando ataques pela região. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IngushetiaRússiaCáucaso do Norte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.