Conservadores acusam governo britânico por perda de dados

Partido acusa funcionários do alto escalão de envolvimento no extravio dos cds com informações do fisco

Ansa,

22 de novembro de 2007 | 12h00

 O Partido Conservador acusou o governo britânico pela perda de informação confidencial de mais de 25 milhões de britânicos e afirmou que funcionários de alto escalão estiveram envolvidos nessa falha "catastrófica". O Ministério da Economia insistiu que as falhas de segurança pela informação perdida pelo departamento responsável pela coleta de impostos e pelas alfândegas foi conseqüência de erros por parte de funcionários mais novos que violaram os mecanismos e códigos internos. A perda dos discos de computador, que continham a informação confidencial de pelo menos 25 milhões de britânicos, deixou grande parte da população do país em perigo de fraudes de identidade e bancarias. O Tesouro afirmou que aspectos das acusações dos conservadores "são incorretos". Segundo afirmou a BBC de Londres nesta quinta, um empregado do departamento renunciou ao cargo por conta do desaparecimento dos Cds. Eles tinham sido enviados por correio normal do Fisco ao Escritório Nacional de Auditoria, em Londres, e continham nomes, endereços, datas de nascimento, números de subsídio infantil, números da previdência social e detalhes de milhões de contas bancárias. O ministro da Economia da oposição, o conservador George Osbourne, declarou que as explicações dadas pelo primeiro-ministro, Gordon Brown, "ficaram agora desprestigiadas". "Este foi um erro do sistema, e não um erro individual de um funcionário de baixo escalão", ressaltou. "Gordon Brown tem que nos dizer toda a verdade sobre o motivo que colocou a segurança de todas as famílias deste país em perigo", continuou Osbourne. Durante um acalorado discurso na Câmara dos Comuns, Brown pediu "profundas desculpas" pelo inconveniente causado. "Quando ocorrem erros na hora de cumprir com os procedimentos, nós temos a obrigação de fazer todo o possível para proteger a população", disse o premiê. Após o escândalo, o governo ordenou uma revisão das medidas de segurança e proteção de informação e anunciou que apresentará um informe ao Comissário da Informação, Richard Thomas. A Scotland Yard iniciou uma investigação para achar os discos enquanto a Comissão Independente de Queixas à Polícia abriu uma investigação pelas falhas de segurança do departamento envolvido no caso.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino UnidoGordon Brown

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.