Conservadores estão a caminho de vitória eleitoral na Grécia

Os conservadores que estão no poder naGrécia pareciam neste domingo estar na direção de uma vitóriaeleitoral apertada, o que pode complicar os esforços derealização de reformas econômicas, depois de uma campanhaobscurecida por incêndios em florestas que deixaram vítimas epor escândalos. Os primeiros resultados oficiais, que ainda não refletem avotação nas grandes áreas urbanas, mostraram que a NovaDemocracia, conservadora, estava com cerca de 45 por cento dosvotos. Pesquisas de boca-de-urna divulgadas antes indicavam que opartido do governo teria uma pequena maioria no Parlamento, oque pode tornar difícil a aprovação de reforças com o objetivode alinhar o segundo mais pobre país da zona do euro aos seusparceiros. O primeiro-ministro conservador Costas Karamanlis e o lídersocialista George Papandreou, os dois herdeiros de destacadasdinastias políticas, pareciam ter perdido votos para partidosmenores. Uma pesquisa de boca-de-urna, realizada pela Kapa Researchpara a Reuters e o jornal To Vima, mostrou o partido dogoverno, Nova Democracia, com 41,9 por cento dos votos e 152das 300 cadeiras do parlamento. Na grande vitória de 2004, que pôs fim a 11 anos de governosocialista, a Nova Democracia teve 45,36 por cento dos votos eelegeu 165 parlamentares. "Vencemos, vencemos", disse Thanassis Papasotiriou, 38anos, ao comprar uma bandeira do partido em uma barraquinha nocentro de Atenas. "Mas temos que pensar como podemos recuperaros votos que perdemos. Temos que mostrar que entendemos amensagem." Com cerca de 10 por cento dos votos apurados, o partidosocialista PASOK estava em segundo lugar, com 38,64 por centodos votos. A pesquisa de boca-de-urna, que tem margem de errode 1 por cento, mostrou o partido com 38,4 por cento e 103cadeiras no parlamento. O PASOK teve 40,55 por cento dos votose elegeu 117 parlamentares em 2004. Apesar de os resultados oficiais ainda estarem longe deserem conclusivos, partidários da Nova Democracia enchiam ocentro de Atenas, tocando buzinas e acenando com bandeiras dopartido. "Conseguimos mais quatro anos e é isso o que importa",disse a dona de casa Maria Kanelopoulou, 49, ao comemorar, commilhares de outras pessoas, na praça Syndagma, no centro deAtenas. Segundo analistas políticos, o PASOK aparentemente nãoconseguiu capitalizar sobre os problemas do governo porquemuitos eleitores não estão dispostos a perdoar os socialistaspelos seus próprios escândalos quando estavam no poder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.