Conspirador pega 33 anos por tentativa de ataque em Londres

Manfo Kwaku Asiedu admitiu ter planejado causar explosões no sistema de transportes em 21 de julho de 2005

Reuters,

20 de novembro de 2007 | 14h05

O quinto suspeito de participar do planejamento e execução de um atentado suicida frustrado em julho de 2005 em Londres foi condenado a 33 anos de prisão nesta terça-feira, 20.  Manfo Kwaku Asiedu, de origem ganense e 34 anos, foi sentenciado após admitir ter conspirado para causar explosões no sistema de transportes londrino em 21 de julho de 2005.  A tentativa de ataque ocorreu duas semanas após quatro islamitas britânicos terem matado 52 pessoas em um atentado suicida contra três trens e um ônibus na capital britânica.  No ataque frustrado, quatro homens - Muktah Said Ibrahim, Yassin Hassan Omar, Ramzi Mohammed e Hussein Osman - tentaram detonar bombas de peróxido de hidrogênio. Os explosivos, de fabricação caseiros, não funcionaram. Todos os envolvidos no plano foram julgados culpados em julho deste ano, mas o júri não conseguiu chegar a um veredicto contra Asiedu e outro homem, Adel Yahya. Yahya foi condenado a cerca de sete anos de prisão no começo do mês, após admitir parte da culpa.  Asiedu havia recebido benefício de um novo julgamento, mas admitiu a culpa no último dia 9.  De acordo com o plano inicial, Asiedu teria como missão explodir uma quinta bomba. No entanto, ele terminou se livrando da mochila que continha o explosivo em um estacionamento no norte de Londres.  

Tudo o que sabemos sobre:
terrorismoManfo Kwaku AsieduLondres

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.