Contra os EUA, Moscou pode colocar mísseis na Bielo-Rússia

Medida é reação contra a proposta americana de instalar sistema de defesa no Leste Europeu

Efe e Reuters,

14 de novembro de 2007 | 11h05

A Rússia poderá mobilizar seu mais novo sistema de mísseis táticos Iskander em Belarus como resposta aos planos dos Estados Unidos de construir um escudo antimísseis no leste europeu, afirmou nesta quarta-feira, 14, um importante general do país. Questionado sobre a utilização do sistema na região, o major-general Vladimir Zaritsky, à frente das forças de artilharia e mísseis da Rússia, disse, segundo a agência Itar-Tass: "Por que não? Sob as circunstâncias corretas e com o aval de Belarus, é possível". A Rússia critica a decisão norte-americana de instalar um radar na República Tcheca e um interceptador de mísseis na Polônia para conter ataques de países como o Irã. Moscou vê nesse plano uma ameaça à sua segurança. Os Iskander (SS-26 "Stone", segundo a classificação da Otan) são mísseis táticos, de curto alcance, que empregam combustível sólido e que, em seu modelo de exportação, têm um alcance de perto de 300 quilômetros. "Qualquer ação suscita reação, e isto é válido também para os elementos do escudo antimísseis dos Estados Unidos na República Tcheca e Polônia", disse o general Zaritski. Caso as Forças Armadas de Belarus sejam equipadas com Iskander-E, a antiga república soviética, firme aliada da Rússia até hoje, ficará em condições de alcançar parte da República Tcheca e todo o território da Polônia, país este último com o qual compartilha fronteira.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaescudo antimísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.