Petr David Josek/AP
Petr David Josek/AP

Corpo do presidente polonês é repatriado

Kaczynski morreu no sábado na queda do avião presidencial na Rússia, juntamente com outras 95 pessoas

Efe

11 de abril de 2010 | 07h38

O corpo do presidente polonês, Lech Kaczynski, morto no sábado, 10, na queda do avião presidencial na Rússia, no qual viajava para uma cerimônia em Katyn, foi repatriado neste domingo. O avião que levava o presidente e outras vítimas do desastre aterrissou hoje no aeroporto de Varsóvia a partir de Smolensk, onde ocorreu o acidente na Rússia.

 

Na madrugada passada, os restos mortais do chefe de Estado polonês foram reconhecidos no local da tragédia pelo seu irmão gêmeo e líder da oposição conservadora, Jaroslaw Kaczynski, quem também recebeu o féretro em Varsóvia.

 

Veja também:

link Líder polonês ajudou a democratizar o país

link Desastre esvazia eleição na Polônia

link Irmão gêmeo identifica corpo do presidente

mais imagens Veja imagens da tragédia e das homenagens

linkPresidente da Polônia morre em acidente de avião na Rússia

 

Os restos mortais do presidente polonês e de sua esposa receberam honras militares em Smolensk na presença do primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin. Após a cerimônia fúnebre no aeroporto Severni de Smolensk, o corpo de Kaczynski foi recolhido ao som do hino polonês por um avião fretado pelo Governo da Polônia que partiu em direção a Varsóvia.

 

"As autoridades polonesas fretaram um avião especial para transferir o corpo do presidente", afirmou Andrei Yevseenkov, chefe de imprensa do governo da região de Smolensk, à agência oficial "RIA Novosti".

 

Homenagem

 

A Polônia fez hoje dois minutos de silêncio em memória de seu presidente, Lech Kaczynski, e do restante das vítimas do acidente aéreo ocorrido neste sábado na Rússia, enquanto espera a chegada na primeira hora da tarde dos restos mortais do chefe de Estado.

 

O primeiro-ministro polonês, Donald Tusk, e o presidente do Parlamento e chefe de estado interino após a morte de Kaczynski, Bronislaw Komorowski, presidiram um ato em memória dos mortos em frente ao palácio presidencial.

 

As sirenes de toda a capital polonesa soaram em homenagem aos falecidos, 96 pessoas ao todo, muitas delas membros da cúpula militar, política e econômica do país.

 

Durante os dois minutos de silêncio em homenagem às vítimas, até mesmo o trânsito em todo o país parou.

 

Identificação

 

Os restos mortais do chefe de Estado polonês foram reconhecidos nesta madrugada pelo seu irmão gêmeo, Jaroslaw Kaczynski, ex-primeiro-ministro polonês que viajou até o país para fazer justamente o reconhecimento. Segundo meios de imprensa poloneses, a chegada do corpo do presidente a Varsóvia está prevista para as 14h (horário local, 10h de Brasília).

 

O avião no qual viajavam o presidente e vários dirigentes poloneses, entre eles a cúpula militar do país, caiu no sábado perto do aeroporto militar Severni da cidade russa de Smolensk.

 

Estava previsto que o irmão gêmeo do presidente polonês integrasse a comitiva no sábado com Lech Kaczynski a Smolensk. Mas ele desistiu na última hora devido ao delicado estado de saúde de sua mãe, segundo informou a edição digital do jornal "Rzeszpospolita". Com a sua desistência, quem ocupou seu lugar foi o deputado da legenda conservadora Lei e Justiça, Przemyslaw Gosiewski, companheiro de partido dos gêmeos Kaczynski.

 

A delegação se dirigia para uma cerimônia em lembrança e homenagem dos milhares de oficiais poloneses executados em 1940 pelos soviéticos na floresta de Katyn, conhecida como Floresta da Morte.

 

Tudo o que sabemos sobre:
PolôniaaviãoLech Kaczynski

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.