Corte espanhola indicia irmã do rei por acusações de corrupção

Um tribunal espanhol manteve nesta quarta-feira as acusações de corrupção contra Cristina de Borbón, irmã do recém-coroado Rei Felipe VI, e seu marido, na mais recente ação que pode prejudicar a tentativa da monarquia de reconstruir sua reputação.

FIONA ORTIZ E RAQUEL CASTILLO, REUTERS

25 de junho de 2014 | 08h55

As decisões tomadas pelo tribunal de Palma de Mallorca acontecem uma semana após o rei Juan Carlos ter abdicado em favor do filho, o qual, ao assumir o trono, busca com a promessa de honestidade e transparência reparar a imagem da família real, abalada por escândalos.

A corte disse ter formalizado as acusações de fraude tributária e lavagem de dinheiro contra a princesa Cristina, de 49 anos, que foi envolvida em uma investigação dos negócios de seu marido, Iñaki Urdangarin.

Urdangarin, de 46 anos, ex-jogador da handebol olímpico, é acusado de usar seus contatos para conseguir contratos públicos para realizar eventos através de sua organização sem fins lucrativos Noos Foundation, e de desviar milhões de euros em fundos públicos.

O casal, que tem quatro filhos, está agora a apenas alguns passos administrativos de ir a julgamento. Ambos negam ter cometido irregularidades e seus advogados de defesa disseram que vão apelar da última decisão.

Se condenado em julgamento, o casal pode pegar vários anos de cadeia.

(Reportagem adicional de Emma Pinedo)

Mais conteúdo sobre:
ESPANHACRISTINAJULGAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.