Crianças são maioria dos 61 mortos em naufrágio na Turquia

Pelo menos 61 imigrantes, incluindo palestinos e sírios, morreram depois que o barco superlotado em que viajavam naufragou a apenas dezenas de metros de distância da costa turca no Mar Egeu, nesta quinta-feira, disseram autoridades. Na maioria, os mortos eram crianças.

Reuters

06 de setembro de 2012 | 15h55

O governador Tahsin Kurtbeyoglu, da região de Menderes, distrito costeiro da província de Izmir, disse à Reuters que uma investigação inicial mostrou que a pequena embarcação afundou na madrugada porque estava superlotada.

Não ficou claro qual seria o destino do barco, mas a pequena cidade turca de Ahmetbeyli, de onde havia partido, fica a apenas poucos quilômetros de distância da ilha grega de Samos. A Grécia é um costumeiro ponto de entrada para imigrantes que tentam entrar na União Europeia.

"O número total de mortos é 61, incluindo 12 homens, 18 mulheres, 28 crianças e três bebês", informou o gabinete do governador em um comunicado.

A mídia turca disse que o motivo de tão elevado número de mortos é que as mulheres e crianças estavam num compartimento trancado na parte debaixo do barco, mas ainda não há uma confirmação dessa notícia.

Segundo Kurtbeyoglu, 46 pessoas foram resgatadas com vida, incluindo o capitão e o assistente do barco, que estão presos. Ele disse não haver mais corpos no barco nem previsão de aumento da cifra de mortos.

O governo da província de Izmir afirmou que os sobreviventes são palestinos e sírios, levados para exames médicos em Ahmetbeyli. Duas pessoas foram hospitalizadas. A imprensa turca informou que havia também iraquianos a bordo, mas não há confirmação.

(Reportagem de Jonathon Burch)

Tudo o que sabemos sobre:
TURQUIAACIDENTEIMIGRANTESATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.