Desaparecidos após explosão na Rússia são encontrados vivos

Todos os 43 sobreviventes se esconderam em abrigo antiaéreo; informações anteriores contavam 35 pessoas

Efe,

13 Novembro 2009 | 16h59

Todas as pessoas dadas por desaparecidas após o incêndio e as explosões em cadeia ocorridas em um depósito de armas na Rússia foram resgatadas com vida nesta sexta-feira, 13,, já que conseguiram se esconder em um abrigo antiaéreo. Também foram confirmadas a morte de dois bombeiros.

 

No local das explosões, a cidade de Ulianovsk, foram resgatadas 43 pessoas que trabalhavam no depósito e que, segundo as autoridades regionais, se esconderam em um abrigo antiaéreo até que o fogo foi controlado.

 

O governador da região, Serguei Morozov, assegurou à mídia local que os 43 resgatados eram os que haviam sido dado como desaparecidos, embora havia sido informado que eram 35 os desaparecidos.

 

Pouco antes, o Ministério da Defesa indicou que dois militares, membros da equipe de bombeiros do depósito, haviam morrido e outros três ficaram feridos enquanto combatiam o fogo.

 

O governador e o Ministério informaram que as explosões provavelmente ocorreram durante a destruição de munições obsoletas. Paralelamente, desmentiram os rumores sobre possíveis armas químicas no local, pertencente à Marinha de guerra russa, e asseguraram o lugar continha apenas "armas convencionais".

Mais conteúdo sobre:
Rússia explosão resgate

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.