Dinamarca prende 30 por vandalismos contra charge de Maomé

Oitava noite de protestos tem carros e prédios incendiados após representação do profeta islâmico

Agência Estado e Associated Press,

18 de fevereiro de 2008 | 09h34

Cerca de 30 pessoas foram presas por incendiarem prédios, carros e latas de lixo na oitava noite consecutiva de distúrbios em cidades dinamarquesas, que começaram com a republicação de charges do profeta Maomé em jornais do país. Jornais holandeses voltaram a imprimir em 10 de fevereiro as charges, como uma declaração de comprometimento com a liberdade de imprensa depois que a polícia abortou um suposto complô para matar o cartunista que as criou. Cerca de 90 incêndios foram registrados na noite de domingo em Copenhague e outras cidades dinamarquesas, a maioria em carros e latas de lixo. Ninguém ficou ferido. O primeiro-ministro Anders Fogh Rasmussen disse domingo que jovens rebeldes e seus pais têm responsabilidade pelos distúrbios. Ele lembrou que a liberdade de imprensa na Dinamarca inclui cartunistas, e que a revolta pelos desenhos não dá a ninguém "o direito de queimar o carro do outro nem queimar escolas e instituições.".

Tudo o que sabemos sobre:
DinamarcachargeMaomé

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.