Documentos britânicos sobre a Al-Qaeda são achados em trem

Relatórios da inteligência são esquecidos em Londres e entregues à BBC; incidente aponta falhas na segurança

Associated Press,

11 de junho de 2008 | 17h30

Documentos secretos do governo britânico sobre a Al-Qaeda no Iraque foram encontrados em um trem, levando a investigação da polícia sobre a série de brechas na segurança nacional, informaram as autoridades nesta quarta-feira, 11. Os papéis pertenciam a um alto oficial da inteligência britânica e foram encontrados por um passageiro de um trem londrino na terça. O envelope foi repassado à British Broadcasting Corp. (BBC).   Veja também: Reino Unido aprova estender prazo da detenção sem acusações   As sete páginas com o carimbo "UK Top Secret" incluíam o último relatório de inteligência sobre a Al-Qaeda e as forças de segurança no Iraque, informou a rede BBC. Os papéis também tinham o selo "somente para o Reino Unido, Estados Unidos, Canadá e Austrália."   Dois dos relatórios foram feitos pelo Comitê da Junta de Inteligência do governo britânico. O reporte no Iraque foi comissionado pelo Ministro da Defesa, enquanto o informativo sobre a Al-Qaeda pertencia aos ministérios do Interior e Exterior.   "Dois documentos marcados como secretos foram deixados em um trem e posteriormente entregues à BBC", declarou um porta-voz do governo, que falou sob condição de anonimato.   A regulamentação do serviço secreto britânico proíbe a divulgação de informações sensíveis que podem afetar a segurança nacional. A BBC anunciou que não revelará o conteúdo exato dos documentos após ser notificada por um aviso legal.   O vazamento é o último episódio de perda de dados do governo, e aparece após o Reino Unido impulsionar uma expansão em seu banco de dados de DNA - que já é o maior per capita do mundo - e trabalhar para finalizar seus planos para um programa de identificação.   "Isso é apenas a última de uma longa série de brechas na segurança, que destaca as falhas mais básicas na habilidade de nosso governo em manter nossa segurança", disse Pauline Neville-Jones, do oposicionista Partido Conservador.   Em janeiro, um computador contendo informações sigilosas de 600 mil futuros recrutas foi apanhado de um carro do escritório do Exército na região central da Inglaterra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.