Dois bombeiros morrem nos incêndios florestais em Portugal

Os bombeiros portugueses se esforçavam nesta terça-feira para controlar cerca de 50 incêndios florestais nos quais ao menos dois de seus colegas morreram.

REUTERS

10 de agosto de 2010 | 16h22

Muitos distritos no árido norte do país aumentaram o nível de ameaça de temperaturas escaldantes neste verão (no Hemisfério Norte) para o mais alto possível nesta terça-feira. Centenas de militares foram deslocados para ajudar as brigadas de incêndio.

As autoridades da defesa civil disseram que uma bombeira morreu, um bombeiro foi gravemente queimado e que seu grupo teve de ser retirado nesta terça-feira quando se viu cercado pelas chamas, depois da brusca mudança na direção dos ventos na região de Gondomar.

Na segunda-feira, um bombeiro morreu e outro ficou seriamente ferido quando o caminhão em que estavam caiu em um barranco em chamas na área montanhosa de São Pedro do Sul, onde o incêndio só foi controlado nesta terça-feira depois de uma operação de quatro dias conduzida por centenas de agentes.

A área de floresta destruída por incêndios até agora ainda é menor na comparação ao ano passado, quando atingiu um recorde de quatro anos.

(Reportagem de Andrei Khalip)

Tudo o que sabemos sobre:
PORTUGALINCENDIOSMORRE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.