Dona da L'oreal entra com denúncia contra sua filha por 'violência moral'

Liliane Bettencourt e Françoise travam batalha judicial por fortuna da empresa de cosméticos

Efe,

20 de outubro de 2010 | 20h03

PARIS- A multimilionária Liliane Bettencourt, principal acionista do grupo L'Oréal, apresentou nesta quarta-feira, 20, uma denúncia por "violência moral" contra su própria filha, com quem mantém um confronto público há meses.

 

Um comunicado divulgado por seu advogado, Pascal Wilhelm, afirma que Bettencourt nega ter sido "vítima de alguém, sequer de sua filha", mas que está cansada da batalha judicial empreendida por Françoise Meyers-Bettencourt.

 

A denúncia responde a três tentativas de Françoise de conseguir colocar sua mãe sob tutela judicial ao considerá-la incapaz de gerir sua fortuna, que gira em torno de 17 bilhões de euros.

 

As duas primeiras tentativas foram rechaçadas pela Justiça, que ainda não se pronunciou sobre a terceira, feita no início deste mês.

 

A anciã "não quer mais que a desacreditem, que a manipulem e impeçam sua liberdade de movimento e de palavra quando todas as tentativas de aproximação fracassaram", continua o texto.

 

A denúncia marca um novo capítulo na briga familiar que cerca a mulher mais rica da Europa, iniciado há quase um ano, quando sua filha a acusou de conceder uma grande parte de seu patrimônio ao fotógrafo e escritor François-Marie Banier, amigo da bilionária.

 

Segundo Françoise, ele se aproveitou da "debilidade" de sua mãe, de 87 anos, para conseguir receber um bilhão de euros, além de contratos de assessoria artística para o grupo L'Oréal.

 

Em meio a disputa entre mãe e filha, surgiram gravações secretas de um mordomo de Bettencourt, cujas revelações elevaram o caso a um escândalo de evasão de impostos e financiamento ilegal de partidos, que atinge o governo de Nicolás Sarkozy e já derivou em cinco investigações judiciais.

Tudo o que sabemos sobre:
Liliane BettencourtL'orealFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.