Dono de site oposicionista russo é assassinado

O proprietário de um site denotícias da oposição na conturbada região russa da Inguchétiafoi morto a tiros neste domingo, depois de ser detido pelapolícia, de acordo com seus colegas de profissão. Magomed Yevloyev, dono do site Ingushetiya.ru, era umcrítico veemente da administração local, apoiada pelo Kremlin eacusada por críticos de esmagar a dissidência e a liberdade deexpressão. A agência de notícias russa Interfax citou a promotoriarussa, segundo a qual uma investigação sobre a morte já foiiniciada. Uma notícia no site de Yevloyev, que foi objeto derepetidas tentativas oficiais de fechamento, disse que ele foimorto a tiros depois de ser detido pela polícia após pousar noaeroporto da Inguchétia. A notícia dizia que ele foi levado ao hospital mas morreuem conseqüência dos ferimentos. O site ainda conclamava "todosaqueles que não são indiferentes" ao seu assassinato a sejuntar para uma manifestação em Nazran, a maior cidade daInguchétia. "Uma investigação preliminar sobre a morte de M. Yevloyevfoi iniciada", teria dito Vladimir Markin, um porta-voz daunidade de investigação do Escritório Geral da promotoria emMoscou, segundo a Interfax. Grupos pró-liberdade de imprensa dizem que a Rússia é umdos países mais perigosos do mundo para jornalistas. AnnaPolitkovskaya, uma repórter investigativa crítica do Kremlin,foi morta a tiros em 2006 do lado de fora de seu apartamento emMoscou. Apoiado pelo Kremlin, o líder da Inguchétia, MuratZyazikov, tem lutado para conter uma insurgência moderadaliderada por militantes islâmicos. Seus críticos o acusam deperseguir ativistas da oposição e repórteres, alegação que elenega. A Inguchétia se localiza na região russa do norte doCáucaso e é vizinha da Tchetchênia, placo de uma rebeliãoseparatista fortemente reprimida. Zyazikov criticou a reportagem do site Ingushetiya.ru eapresentou uma queixa à corte local no início do ano buscando ofechamento do site. A agência Interfax citou uma fonte não identificada dajustiça segunda a qual Yevloyev foi morto por acidente. "Enquanto policiais estavam tentando transferir M. Yevloyeva um escritório do Ministério do Interior, ocorreu um incidenteno qual M. Yevloyev recebeu um tiro na região da têmpora",teria dito a fonte de acordo com a agência. Aslanbek Apayev, representante do grupo de direitos humanosMoscow Helsinki Group, disse à Reuters que membros da oposiçãoda Inguchétia lhe disseram que Yevloyev estava morto. "Sim, é verdade. Pessoas próximas da oposição meconfirmaram isso. Não tenho quaisquer detalhes", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.