Niall Carson/AP Photo
Niall Carson/AP Photo

Duas noites de manifestações deixam 82 policiais feridos em Belfast

Dissidentes do IRA atacam policiais em meio a marcha de protestantes da Ordem de Orange

Associated Press

13 de julho de 2010 | 12h30

BELFAST - Líderes da Irlanda do Norte condenaram manifestantes nacionalistas irlandeses nesta terça-feira, 13, que feriram 82 policiais durante duas noites de conflitos nas ruas espalhados pelas paradas anuais da maioria britânica protestante.

 

Enquanto a maioria dos oficias feridos sofreram apenas cortes e hematomas, outros sofreram queimaduras e fraturas. Dois permanecem hospitalizados: um policial ferido no peito e braços por uma explosão, e uma policial que teve uma pedra de pavimento atirada em sua cabeça do telhado de uma loja.

 

A violência nas áreas do operariado católico de Belfast e outras cidades aconteceram antes e depois que dezenas de milhares de protestantes da irmandade Ordem de Orange marcharam em 18 locais em toda a Irlanda do Norte em um uma demonstração anual de força comunal. Foi o pior distúrbio em Belfast desde o mesmo evento exatamente um ano atrás.

 

Os políticos e os comandantes da polícia disseram que os manifestantes, influenciados por dissidentes do Exército Republicano Irlandês (IRA), foram motivados principalmente para atacar os próprios policiais. Dissidentes do IRA se concentraram nos últimos meses na tentativa de atrair a polícia para emboscadas, até agora com pouco sucesso.

 

O comandante da polícia da Irlanda do Norte, Constable Matt Baggott, lançou um vídeo do tumulto de segunda-feira em duas partes de Belfast capturado por helicópteros de vigilância. As imagens mostraram centenas de adolescentes e jovens mascarados, escalando veículos blindados, jogando pedaços de pau contra os escudos da polícia enquanto, os policiais se mantiveram firmes,  recuarando apenas lentamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.