Eleições na Ucrânia podem não ter vencedor

Partidos pró-Ocidente podem ocupar chefia do governo caso formalizem aliança contra primeiro-ministro do país

BBC Brasil,

30 de setembro de 2007 | 21h06

A votação nas eleições parlamentares da Ucrânia, neste domingo, 30, foi encerrada e pesquisas de boca-de-urna sugerem que não haverá um vencedor claro, forçando a uma negociação para a formação de uma coalizão de governo. Os partidos que apóiam o presidente Viktor Yushchenko, que é pró-Ocidente, poderão obter uma ligeira vantagem sobre o bloco do primeiro-ministro, Viktor Yanukovych, que tem fortes laços com a Rússia, de acordo com as enquetes. A eleição deste domingo, a terceira em três anos, foi convocada para tentar resolver uma longa batalha política entre Yushchenko e Yanukovych. Yulia Tymoshenko, aliada do presidente, já anunciou que apresentará nesta segunda-feira um pedido para formar um novo governo.   Yushchenko e Tymoshenko, que lideraram a chamada Revolução Laranja, em 2004, poderão ter uma pequena maioria parlamentar se unirem forças. O presidente fez de Tymoshenko sua primeira-ministra em 2004, mas divergências internas levaram à dissolução do gabinete. Segundo a correspondente da BBC em Kiev, Helen Fawkes, a falta de um vencedor claro depois das eleições parlamentares do ano passado levaram a negociações para uma coalizão que levaram meses e lançaram a Ucrânia em uma crise política. O presidente pró-Ocidente Viktor Yushchenko dissolveu o parlamento ucraniano em abril passado, alegando que o primeiro-ministro Viktor Yanukovych estava tentando usurpar o poder. Depois de dois meses de protestos nas ruas e de enfrentamento entre os dois líderes políticos, foi acertado que as eleições seriam realizadas em 30 de setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrâniaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.