Eleições regionais na Rússia testam partido de Putin

Os russos foram às urnas neste domingo em eleições regionais que testarão a força do partido governista, do primeiro-ministro Vladimir Putin, menos de 18 meses antes de uma eleição presidencial que pode colocá-lo de volta no poder.

CONOR HUM, REUTERS

10 de outubro de 2010 | 10h42

O partido Rússia Unida, abalado pela demissão do membro-fundador Yuri Luzhkov como prefeito de Moscou, no mês passado, deve dominar sete eleições regionais e milhares de pleitos municipais, com mais de 40 milhões de pessoas elegíveis para votar.

Mas analistas dizem que, mesmo algumas derrotas regionais podem estimular o Kremlin a reconsiderar sua dependência do partido para conseguir uma vitória na eleição de março de 2012 para Putin ou seu protegido, o presidente Dmitry Medvedev.

"Se os resultados forem ruins, as preparações para 2012 terão de mudar fundamentalmente," afirmou Nikolai Petrov, do instituto de estudos Centro Carnegie de Moscou.

Putin e Medvedev deram a entender que um deles, mas não ambos, serão candidatos do Kremlin para um mandato de seis anos em 2012.

Um resultado ruim neste domingo pode também fazer com que as autoridades aumentem os gastos públicos, que já possuem uma expectativa de crescimento no ano anterior às eleições, disse Chris Weafer, estrategista chefe do banco de investimentos Uralsib.

Dois pequenos partidos pró-Kremlin e os Comunistas tentarão aumentar seus números de assentos em sete legislaturas regionais após terem mostrado certa força em outras votações neste ano.

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIAELEICOESPUTIN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.