Iara Morselli
Iara Morselli

Em discurso, Elizabeth II pede unidade após incêndio em Londres

Comunicado da rainha da Inglaterra contrasta com postura da primeira-ministra do país, acusada de negligência com o caso

O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2017 | 08h59

Em discurso publicado nesse sábado, a rainha Elizabeth II pediu pela unidade do povo inglês após o incêndio da torre Grenfell, que ocorreu na quarta-feira em Londres. Até o momento, as equipes de resgate já encontraram 30 corpos, mas o número de vítimas pode ser maior.

"Este é, tradicionalmente, um dia de festa", disse a soberana inglesa no comunicado em celebração aos seus 91 anos, "mas, este ano, é difícil não sentir o sombrio ânimo nacional". Em sua mensagem,a monarca de 91 anos pediu que os britânicos não desanimente diane da "sucessão de terríveis tragédias" que abalam o país em 2017 - que já sofreu, além do incêndio da Grenfell, outros três atentados terroristas. "Quando posto a prova, o Reino Unido se mostra determinado frente à adversidade. Unidos em nossa dor, também estamos assim, sem medo nem preferência, no apoio que damos a todos os que reconstroem suas vidas". Neste sábado, Elizabeth II respeitou um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da catástrofe.

A postura da rainha, elogiada nos jordifere da adotada pela primeira-ministra britânica, Theresa May. A líder do parlamento britânico visitou uma igreja próxima ao local do incêndio e chamada de "covarde" por manifestantes. Mesmo prometendo liberar cinco milhões de euros às vítimas, a principal crítica era que May não se reuniu com os moradores da Torre Grenfell na véspera. "Uma lider que tem medo de se encontrar com os seus concidadãos está acabada", disse o jornal The Guardian em um editorial. O valor oferecido pela primeira-ministra é pouco maior que os três milhões obtidos em doações. Já a rainha visitou as vítimas do incêndio durante a sexta-feira (16). 

    

              

                  

              

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.