Empresário está entre presos na Turquia sob acusação de golpe

Quatro dos 21 turcos detidos em umainvestigação policial sobre a aplicação de um golpe foramformalmente presos, incluindo um importante empresário,informou neste sábado a imprensa turca. O presidente da Câmara de Comércio de Ancara, Sinan Aygun,está entre os quatro, informou a agência de notícias estatalAnatolian. Aygun é um crítico do partido governista AK. Cinco outras pessoas, incluindo o editor-chefe de umjornal, foram soltas na sexta-feira, mas estão impedidas dedeixar o país enquanto o caso estiver sendo investigado,informou a Anatolian. Não houve pronunciamento oficial sobre o restante dosdetidos, que incluem dois generais aposentados, jornalistas epolíticos. Eles foram detidos na terça-feira, horas antes da primeiraaudiência em um caso que pode levar o Partido AK a ser suspensose for considerado culpado por tentar introduzir leis islâmicasno país. A imprensa turca disse que os detidos eram suspeitos deserem membros de um grupo obscuro, ultranacionalista esecularista conhecido como Ergenekon, que já estava sobinvestigação. Um plano secreto, inclusive o de realizar protestos ilegaisno dia 7 de julho em 40 províncias, assassinatos e confrontoscom forças de segurança, foi apreendido da terça-feira,informou a imprensa. Dezenas de pessoas já foram presas suspeitas de teremligações com o grupo Ergenekon, incluindo autoridadesaposentadas do Exército. Os militares, que têm repetidamente criticado o governo ese consideram os guardiões do sistema secular da Turquia,negaram qualquer ligação com o grupo. As prisões e o início do processo para fechar o partidoatingiram as bolsas de valores turcas e o valor da lira naterça-feira. Os mercados posteriormente se recuperaram graças àentrada de recursos estrangeiros. (Por Selcuk Gokoluk)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.