Entidade européia cancela missão para observar eleição russa

O principal grupo de defesa de direitoshumanos e segurança da Europa anunciou nesta quinta-feira quecancelou planos de monitorar as eleições presidenciais daRússia, em março, devido a restrições inaceitáveis impostas porMoscou. O braço eleitoral da Organização para Segurança eCooperação na Europa (OSCE) disse que não mandará uma missãopara o pleito de 2 de março, no qual o candidato do presidenteVladimir Putin deve sair vencedor. "A Federação Russa criou limitações que não contribuem paraa realização de observação do pleito", declarou o diretor doórgão ODIHR, Christian Strohal. Em anúncio separado, a assembléia parlamentar da OSCEtambém cancelou a participação no monitoramento das eleições. Com isso, a Assembléia Parlamentar do Conselho da Europa(Pace, na sigla em inglês) será o único órgão Ocidental queainda planeja acompanhar a votação do mês que vem. Para a Rússia, desde o começo, a intenção do ODIHR foiboicotar a eleição. A decisão dos órgãos vem após uma disputa com Moscou sobreo número de observadores que poderiam monitorar a eleição esobre a data em que eles poderiam começar a trabalhar. Segundo o ODIHR, poucos observadores foram convidados parao trabalho e quando a campanha já estava em andamento. A Rússia disse que cumpriu integralmente suas obrigaçõesinternacionais junto à OSCE e acusou a organização de tentarpolitizar a disputa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.