Equipe russa recupera corpos de todas as vítimas do acidente aéreo

Equipe russa recupera corpos de todas as vítimas do acidente aéreo

Informações oficiais sobre número total de mortos variam entre 88 e 132

Agência Estado

10 de abril de 2010 | 15h23

O ministro de Situações de Emergência da Rússia, Sergei Shoigu, anunciou neste sábado, 10, que as equipes de busca recuperaram todos os corpos das vítimas da queda do avião Tupolev, que transportava o presidente da Polônia e sua delegação de autoridades de alto escalão.

 

"Neste ponto, os corpos de todos os mortos foram recuperados e eles começaram a ser transferidos para Moscou", disse Shoigu ao primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, que chegou nesta tarde a Smolensk para inspecionar pessoalmente o local do acidente.

 

O Tupolev que transportava o presidente da Polônia, Lech Kaczynski, sua esposa, Maria Kaczynska, e sua comitiva caiu a cerca de um quilômetro do aeroporto militar Smolensk-Severnuy, após sua quarta tentativa de aterrissar em meio a um intenso nevoeiro. O grupo participaria das cerimônias em Katyn (Rússia) em memória do massacre de 22 mil poloneses pelos agentes soviéticos há 70 anos.

 

A agência de notícias oficial da russia, RIA-Novosti, disse que as indicações preliminares são de que o acidente foi causado por erro dos pilotos.

 

Na delegação estavam o presidente do Banco Nacional da Polônia, Slawomir Skrzypek, o embaixador da Polônia em Moscou, o vice-ministro da Defesa, o vice-líder do Senado e o da Câmara Baixa, o vice-ministro das Relações Exteriores, o chefe de equipe do Exército, o chefe de gabinete do presidente, o chefe do Escritório de Segurança Nacional, entre outras autoridades.

 

As informações sobre o número total de mortos varia. As autoridades na Polônia dizem que 88 pessoas morreram no acidente, enquanto o Ministério de Situação de Emergência da Rússia informa que o número chega a 96; o Comitê de Investigações russo diz que 132 morreram. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.