Erdogan diz que Turquia pode dar apoio militar a coalizão liderada pelos EUA

Erdogan diz que Turquia pode dar apoio militar a coalizão liderada pelos EUA

"Vamos dar o apoio necessário à operação; o apoio pode ser militar ou logístico", disse Erdogan a repórteres em Nova York, de acordo com a emissora turca NTV

REUTERS

23 de setembro de 2014 | 15h05

A Turquia pode dar apoio logístico ou militar aos ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos contra os insurgentes do Estado Islâmico na Síria, disse o presidente turco, Tayyip Erdogan, nesta terça-feira.

"Vamos dar o apoio necessário à operação. O apoio pode ser militar ou logístico", disse Erdogan a repórteres em Nova York, de acordo com a emissora turca NTV.

Os Estados Unidos e seus aliados árabes bombardearam a Síria pela primeira vez nesta terça-feira, matando dezenas de combatentes do Estado Islâmico e membros de um grupo separado ligado à Al Qaeda, abrindo uma nova frente contra os militantes ao ingressar na guerra civil de três anos na Síria.

A Turquia, que integra a aliança militar Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), vinha descartando até agora assumir um papel militar na coalizão. O país está em alerta com o Estado Islâmico, mas também se preocupa com os combatentes curdos e se opõe a qualquer ação que possa ajudar o presidente sírio, Bashar al Assad.

A Turquia tem uma grande base militar dos Estados Unidos na cidade de Incirlik, no sul, que autoridades afirmam que não foi utilizada até agora em qualquer ação letal no Iraque ou na Síria.

Erdogan disse que a Turquia considera positiva a ação liderada pelos EUA e que a ofensiva deve continuar.

(Reportagem de Ece Toksaba)

((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))

REUTERS PF ES

Mais conteúdo sobre:
TURQUIAEUAAPOIOMILITAR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.